Monday, November 01, 2010

Um recado para você

Discuti com você outro dia, às vésperas da eleição. Você não significa mais do que realmente é: alguém movido pelo desejo de ter mais e insatisfeito por ter vivido o contraste entre o que viveu e o que vive.

Sua tradição familiar é a do privilégio e esse mundo já não pode existir mais. República para você sempre foi um termo burocrático, jamais um valor.


Para ser sincero você é um símbolo para mim. Por isso sua idade, profissão, nível de renda, escolaridade ou sexo são irrelevantes. Pouco importa, pois pessoas como você existem aos milhões no meu país e com você compartilham dos mesmos valores: narcisismo, consumismo e o desejo maior de se libertar daquilo em que se meteu. Você é um novo pobre, apenas isso.

Não entende que o mundo muda porque precisa mudar. Não consegue ver mudanças para além do vidro do seu carro.

Você xinga o governo, bajula o patrão e ofende quem está no nível social mais baixo que você. Lembro-me de você dizendo que se sentiu mal quando estava numa cidade do interior de SP diante de uma manifestação do MST. Para você a presença "daqueles mendigos" era um absurdo numa cidade turística. A presença dos pobres o ofendeu, não a pobreza deles. Sei que você não se lembra do que disse, pois você fala muitas bobagens. Mas eu nunca me esqueci, pois suas palavras me entristeceram.

Você votou no Collor em 1989 porque acreditou que um governo Lula afastaria investimentos e confiscaria as aplicações financeiras. E quem fez isso foi o Collor.

Lembro-me que gente como você "se esqueceu" que tinha votado no Collor em 1989 e festejou o impedimento dele em 1992. Lembro-me de ver gente como você a xingar o Collor em setembro de 1992 e ter votado no Maluf em outubro do mesmo ano. O candidato em SP era o Suplicy e você preferiu o Maluf.

Em 1994 você votou no FHC e muita gente fez como você, diante das mudanças econômicas. Naquele momento mais gente se uniu a você e nem todos eram tão questionáveis quanto você.

Em 1998 você votou de novo em FHC. Não adiantou ouvir que o desemprego era alto e que a crise era consequência dos erros do governo. Aliás pouco adianta argumentar com você. Pois para você o universo já tem explicação e você tem todas as respostas. Você tem uma característica peculiar. Nunca duvida e jamais pergunta. Você é mesmo o dono da verdade.

Você disse que se Lula ganhasse haveria a desvalorização do Real frente ao dólar. FHC venceu com base nessa tese e desvalorizou o Real em janeiro de 1999. Você teve que pagar muito mais pelo carro financiado, mas já nem se lembra mais disso. Não porque não consegue. Apenas porque não quer se lembrar. Sua memória é seletiva por opção e não por natureza.


Em 2002 votou no Serra, pois você garantiu que se Lula ganhasse o Brasil "iria virar uma Argentina". Você e a Regina Duarte.


Lula ganhou e o Brasil não virou uma Argentina.


Em 2004 você votou no Serra para prefeito contra a Marta. Eu me lembro. Chamava Marta de "Martaxa" e acreditou no que o Serra dizia. Serra ganhou, tirou a taxa do lixo e criou outras. Mas para você isso não tem importância. Pois você nunca erra, não é mesmo?


Em 2006 votou no Serra para governador e no Alckimin para presidente. Disse que já não suportava mais a corrupção e os "mensaleiros". Não adiantou dizer que o DEM e o PSDB também tinham problemas parecidos. Você além de dono da verdade é dono da moral. Está sempre certo e só vota em gente honesta...


Em 2008 você votou no Kassab contra a Marta. Seu discurso foi muito original, pois chamava o outro lado de corrupto para defender o ex-secretário do Maluf. Sim, você sabia que Kassab era da equipe de Maluf. Mas não adianta, pois para você o mal está sempre no outro lado do muro. Você nunca erra.


Em 2010 você se superou. Reforçou seus preconceitos e passou a acreditar que uma vitória do PT significaria uma ditadura no Brasil. Você realmente acredita nisso e é impressionante como se esquece disso quando os jornais que você lê, as revistas que você compra e os canais de TV que você assiste não dão espaço para opiniões divergentes. A democracia para você não é um valor. É só uma palavrinha que enfeita seu discurso. Pega bem falar em nome da democracia. Mas para você é muito difícil ser democrático.

Ontem você votou no Serra de novo. Terá sido coincidência?


Hoje já tem um discurso pronto. Jura de pés juntos que foi graças ao Bolsa-família ou o "bolsa-esmola" como você gosta de dizer com a graça que só os arrogantes que com você convivem gostam.

Vi também o discurso do seu candidato derrotado. Não adianta lembrar que ele quebrou uma tradição de 21 anos. Serra não ligou para Dilma logo que soube da certeza de sua derrota. Foi deselegante. Você se esqueceu que Lula perdeu 3 eleições consecutivas e que nas 3 reconheceu o resultado. É elegante ligar para o vitorioso. Dilma esperou o gesto até tarde. Quando ligou ela já discursava.

Serra fez um dos discursos mais rancorosos que eu já vi na minha vida diante de uma derrota. Prometeu que a "luta apenas se iniciava naquele momento". Pensei que ele tivesse ofendido a todos que nele votaram. Se a luta só começa agora o que Serra fez desde 2002 quando perdeu a primeira vez para presidente? Brincou esse tempo todo?


Hoje eu comemoro e você lamenta. Mas não me iludo. Sua insensibilidade social não mudou de ontem para hoje. Sua arrogância não foi diminuída. E seus preconceitos não foram superados.

Você e os seus colegas de pensamento não estão preocupados em saber onde erraram. Procuram agora, desesperadamente, argumentos para justificar um erro que não foi de vocês. "A luta foi desigual", tem sido o discurso patético dos maus perdedores.

Você perdeu essa eleição e não está preocupado em ver onde errou por uma razão simples: você nunca erra.


Mas a vida segue e eu sigo o meu caminho. Sei que terei que conviver com gente como você por todo o tempo em que eu ainda estiver vivo e residente no Brasil.

É difícil conviver com você e com gente que pensa como você. Mas saiba de uma coisa. Não arredo pé do meu país e não descanso enquanto não vencer não você, mas esse tipo de pensamento mesquinho, arrogante e elitista que tanto mal faz ao meu país e ao meu povo.

Finalmente concordo com seu candidato: a luta apenas começou.

26 comments:

Anonymous said...

o engraçado é que um dos maiores contestadores do Senhor Fernando Collor de Mello hoje o apoia e aceita seu apoio....

Infelizmente existem pessoas que esquecem as coisas....

Lucas Campos aluno said...

genial esse post !
cada vez mais esse teu blog vale a pena continuar escrevendo porque tá fazendo muita gente parar pra pensar nas coisas
Abraços !

Anonymous said...

Aviso ao anônimo,

agora esses comentários são moderados. Termos vulgares não serão aprovados.

Caso se julgue prejudicado por isso lembre-se: o blog é meu e eu dito as regras de convivência.


Suas ideias serão sempre aceitas desde que acompanhadas de um mínimo de respeito.

Quer baixaria procure a veja.

Mayara said...

Moraes, estou com vc nessa luta contra o preconceito, contra aqueles q se julgam mais inteligentes e seus votos mais importantes apenas por terem nascido em uma classe social mais "elevada" -como se a consciência política pudesse ser comprada- mas não fazem a mínima questão de se informar. São aqueles q ñ conseguem suportar a ideia de serem governados por um torneiro mecânico e que se enojam com o combate à desigualdade social q está diminuindo seus privilégios.
Precisa extravasar...

Murilo said...

Parabens Moraes!

Um dos melhores textos que vc postou com certeza!

Tenho orgulho de ter sido seu aluno, cara!

Abraço!

Murilo said...

Com certeza um dos melhores textos que vc ja postou aqui, Moraes.Parabens!

Tenho orgulho de ter sido seu aluno, cara!

Abraço

Hedlla said...

O que mais me deixou revoltada foi a clara exibição do preconceito dessa gente... se dizendo a elite sulista e desmerecendo o voto dos nordestinos. Só quero que se analise quem é que elege os figurões para a camara (Clodovil, Maluf, Tirica, Romário..)
Lá eu não vejo essa ignorância política..
Hoje eu escutei muitos amigos dizendo terem vergonha de serem paulistas...
mas eu não me preocupo..
Sou nordestina com orgulho!

Anonymous said...

parabéns, professor!
excelente.

Elias Nadim Mora said...

triste, mas bem escrito

Luan Guedes said...

Nossa!

Eu queria muito, mas MUITO mesmo ter a oportunidade de ler isso perante a alguns parentes e amigos tucanos.

Desculpe a expressão nem um pouco elegante, mas esse post foi de "comer sem vaselina" rsrs.

Parabéns Moraes! Orgulho de ter tido um professor como você.

Abraços

Anonymous said...

o melhor presidente que o Brasil já teve:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/824160-fhc-diz-nao-endossar-mais-psdb-que-nao-defenda-a-sua-historia.shtml

Anonymous said...

Professores de história, cheios de historinhas e pouco conteúdo técnico!
Por favor, passem 4 anos na faculdade de economia antes de opinarem sobre o assunto!

fabio said...

Boa mano!!!

"Deitou o cabelo"!!!

Tamo junto!

fabio baldacci said...

Boa mano!!!

"Deitou o cabelo"!

Tamo junto!!!

Keyth Costa said...

Muito bom!
Enquanto Dilma estende a mão, ele começa uma luta. Não tem nem como se compadecer.

Dan said...

parabéns pelo texto!
sensacional

Giulia said...

Sabe, Moraes, concordo contigo quanto ao conteúdo do post mas não por causa das eleições, mas porque sei na pele o que é passar por algum preconceito injustificado, e não precisei ser negra e nem do mst para isso. Inclusive nestas eleições, ouvi coisas desagradáveis e ofensivas de gente que acha que sabe de tudo.
Apostei na Dilma nessas eleições. Com ou sem mensalões, o PT ainda carrega uma bandeira que este país precisa muito, a do apoio do governo à setores como a educação e saúde, e da tão utópica distribuição de renda. O próprio Obama no momento que necessitou, acabou por apelar por um Sus, implantado por lá. Público.
Em São Paulo, esses sabe-tudo fecham os olhos para o sucateamento das escolas públicas básicas, nas mãos de governos tucanos a tempos, e colocaram mais um mandato lá.
Apenas uma coisa me incomoda nesse governo que está para começar, que é o excesso de funcionarismo público. Na realidade, funcionários públicos não são algo ruim per se, mas maus funcionários público não podem ser facilmente retirados do cargo e isso causa um atraso massivo, queria que esse sistema mudasse. Mas isso é outra história.

Um ps. ao sr economista covarde, digo, anônimo ali em cima.
Vocês sabem muito "conteúdo técnico" mas pouco conhecem da população e via de regra são de linhagem preconceituosa. Ninguém aqui falou que governos tucanos foram 100 por cento ruins. Vá estudar por mais de quatro anos antes de subestimar os outros, moço, e tente viver com um salário mínino. Economia não é uma faculdade cujo bacharel sozinho é suficiente. Atualmente, quem faz economia? Abastados. Para que? Para ganhar dinheiro.
Como diria um amigo meu, meteorologistas só servem para errar mais do que economistas na tv.

Julio said...

Oi Palpiteiro. A parte do Collor foi engraçada.
Fala pro seu amigo imaginário que Lula e Collor já estão no palanque juntos há muito tempo.
Fala pra ele também que essa polarização extremista pode ser uma grande besteira. Diz pra ele que muitos que votaram em Serra para presidente podem ter votado em Marta para Senadora, e no PV para governo do estado ou talvez no PT, para haver alternância. Fala pra ele que talvez não seja necessario botar tudo em dois sacos diferentes. Existem muitos sacos. Fala também que o Brasil não começou com 2002 e nem em 1995. Não acabou em 1964 e também não começou lá. Será que vc consegue explicar isso pra ele?

Diego Zuculin da Fonseca said...

Muito boa, Moraes.

Expressou muito bem o pensamento mesquinho e preconceituoso que a maioria dos tucanos tem.

Vamos espalhar alguns textos assim aqui pela UFABC, que esses futuros engenheiros precisam ler coisas boas.

Eu e meu amigo Luan nos encarregaremos disso.

Parabéns, professor. Manda um salve pro Moe. E manda ele fazer um blog também. rsrsrs.

Diego Zuculin

Chico said...

éee Seu Moraees, mando bem!

Diiilma neeeles!

André said...

Texto genial, Moraes!!! (um dos mais geniais que li nos ultimos dias. E olha que acabei de ler uns textos do Foucault que eu nao conhecia, e umas pregacoes malucas de um tal de Paul Tillich).

Abraco!!!

Andreh.

P.S. Concordo com Vc, Julio...
Eh e nao Eh.

Anonymous said...

Me mostre onde começou a baixaria, pois então. Tudo o que eu disse todo mundo sabe, e não usei termos de baixo calão. Em poucas palavras, me parece que por você ser o dono do blog, quer que sejam postados somente comentários que sejam interessantes à sua opinião. Triste, ver um professor, de quem se espera que abra a mente de seus alunos, usando este poder para manipulá-las segundo seus próprios interesses. Lamentável.

Iowa said...

Como disse o Luan Guedes,

"Eu queria muito, mas MUITO mesmo ter a oportunidade de ler isso perante a alguns parentes e amigos tucanos."

Moraes, vou divulgar seu texto.

Pode ter certeza de que já tem a tempos um grande aliado na luta contra o preconceito e a pobreza, mas sempre com o pé no chão.

Abraços de um aluno,

Juliano;

Anonymous said...

Não sou o anônimo que falou de Economia, mas Giulia, francamente, falar em "deixar a utopia da distribuiçãod e renda" de lado? Você vive no mesmo país que eu? Enquanto os hospitais caem aos pedaços, assim como as escolas, o governo insiste em um assistencialismo vicioso e medíocre... Enquanto isso a corrupção se prolifera em Brasília, afinal, o que todos querem é Bolsa Tudo, Copa do Mundo e Olimpíedas.

Anonymous said...

E reinam os estereótipos atrasados de esquerda e direita, que classificam uns como "burguesinhos" e outros como defensores dos "pobres e oprimidos". Hoje isso já não existe mais. Essa é uma luta que serve para iludir militantes de ambos os lados, enquanto os políticos enchem os bolsos e o país não incomoda ninguém: sempre atrasado.

Vinicius Carrijo said...

Que texto fantástico Moraes!